in , , ,

O que fazer em Urupema: Roteiro de 1 dia na cidade mais fria do Brasil

mãe e filho pequeno em frente a moldura decorativa com vista do alto do morro no fundo

Neste post de dicas de o que fazer em Urupema, posso te garantir que você vai gostar demais de descobrir de forma prática e gostosa o que a cidade mais fria do Brasil pode oferecer em um roteirinho super bacana!

A pequena cidade de menos de 3.000 habitantes fica na Serra Catarinense, especialmente próxima de Urubici (dicas do que fazer nela também aqui). E apesar de São Joaquim, que é uma vizinha também, já ter tido esse título, as medições instrumentos tecnológicos mais atuais acabaram desbancando ao terra da maçã, e Urupema está no topo!

Antes de propriamente dizer o que fazer em Urupema, algumas dicas que são relevantes:

> O inverno é realmente o ponto alto de Urupema. As demais cidades desta região de Santa Catarina considero boas para várias épocas, mas esta dá diferença em ir ou não no inverno, já que é muito legal ver as geadas, a vegetação branquinha, e os cristais de gelo que se forma entre rochas e árvores. Você pode ir em outras épocas, mas o inverno aqui é de fato mais especial!

dois meninos de 4 e 7 anos em frente a árvore com cristais de gelo
Os cristais de gelo que se formam por toda a cidade são lindos no inverno! E claro que tem bagunça de criança por aqui também!

> Pelo número de opções de estadia e alimentação serem bem reduzidos por lá, salvo para quem deseja uma casinha para se isolar e curtir a hospedagem, não recomendo pernoitar por lá, e sim na vizinha citada, afinal, são apenas 52km que separam uma a outra (1h10 de viagem). Nós fizemos um bate volta  de carro e foi ótimo. Escolha onde ficar em Urubici aqui.

> Outro ponto é que tanto nela quanto na Serra Catarinense toda o ideal é ir ou alugar carro. Não vejo como possível fazer de outra forma, e pessoalmente nem excursão recomendo, já que são muitos “vais e vens” de atrativos da região. Os locais para estacionar são gratuitos e fáceis, e você terá toda a liberdade de curtir os atrativos e visuais.

É preciso apenas tomar cuidado para sair nos dias mais frios do inverno com gelo na pista. É realmente muito perigoso e saia um horário mais tarde para ele derreter e evitar deslizar com o carro. Provavelmente você não precisará de correntes não, mas vale uma conversa com alguém local ou acompanhar notícias para manter a segurança.

Com as dicas de preparação, agora é hora de saber o que fazer em Urupema, sendo que este roteiro inclui as 3 atrações principais da cidade – Cascata que Congela aliás, para menos de 1 dia: fizemos em meio e deu super certo, mas vou contar os detalhes a partir de agora!

Roteiro de Urupema

Saímos de Urubici pela manhã usando o Waze e mesmo em em plena alta temporada no inverno, eram pouquíssimos carros circulando, foi bem tranquilo e a estrada é muito bonita, e passa primeiro pelo meio da pequena Rio Rufino, e depois você sobre mais da Serra rumo a Urupema.

Coloquei o nome da cidade mesmo no aplicativo, para cair no pequeno centro. Porém, dois pontos. Primeiro, é possível pelo caminho do Morro do Campestre, e parte da estrada será de chão. Não fiz esse caminho. Voltei no trevo de acesso de Urubici, e fomos em estrada totalmente asfaltada, e são poucos quilômetros a mais.

Segundo, já adianto que o centrinho foi o último lugar que visitamos, e recomendo assim. Pelo horário, foi melhor irmos nos outros dois atrativos, que possuem acesso a partir da estrada. Há uma boa sinalização das atrações a partir de um trevo próximo a entrada da cidade, e vocês podem ir tranquilos e pegar o acesso antes de ir até lá.

vista de praça com rio artificial e pedras ao redor
A praça do centro de Urubici, mas lá deixamos para o final, logo falo.

Sei que há opções a partir de outras cidades, como Lages, mas ainda acho o ideal ir e vir de Urubici, ou talvez de Bom Retiro, Rancho Queimado e Alfredo Wagner, cidades com menos conhecidas da Serra, mas que podem fazer parte de seu caminho e mesmo estadia, e será apenas um trajeto extra em asfalto também.

Pouco depois do trevo de acesso à Urubici, tem opções de parada. Um deles é o restaurante Caminho da Neve, que não comemos, mas compramos um salame logo em frente.

Há também uma parada na estrada que é bem simpática, e pode ser uma opção para a ida ou a volta inclusive de almoço. Chama-se Empório Serrano e fica em Bom Retiro.

Nesta parada também tem lojas e o Café Bom Glacê, com fotos muito interessantes, e está bem ao lado do acesso para um Santuário de Nossa Senhora de Aparecida, que fica em uma área alta e é visível desse ponto. Não paramos nestes pontos porque meus dois pequenos aventureiros dormiram e queríamos voltar para outros lugares em Urubici ainda, mas acho que vale a pena dar uma olhadinha se você tiver tempo.

Sem mais demora, chegamos então no primeiro lugar da lista de o que fazer em Urupema: a Cascata que congela.

Placa turística e paredão de pedra com vegetação sinalizando o local
O local onde fica a cascata que congela.

Confesso que fui descrente neste local, afinal era muito improvável que uma cascata congelasse, mas fui surpreendida, mas a graça realmente é ir no inverno, porque senão isso não vai acontecer.

O acesso para ela a partir do trevo de sinalização antes do centro de Urupema é bem fácil e rápido, porém não há nada ao redor e você estaciona no cantinho o seu carro do local onde tem a placa, e onde provavelmente terão outros carros. Vi apenas duas vagas para estacionar mesmo, e a rua é estreita, mas sempre tem um cantinho, visto que a visita é bem rápida, e a rotatividade então também é.

Não se engane pela micro queda de água que você vê na rua. Vimos ela também com alguns gelinhos, mas para a cascata você precisa subir uma escada estreitinha (infelizmente não tem acessibilidade) e com degraus altos e escorregadios. São poucos, mas vale ir sim com bota ou tênis com travas para não levar um tombo!

5 minutos depois de subir, você aí sim terá o visual de uma cascata pequena, escondida entre árvores, e congelada!

selfie mãe e filho pequeno com cascata congelada com cristais de gelo
E não é que ela congela mesmo?

A cascata é de pouca água e fica totalmente na sombra. Sendo assim, como o frio que faz de temperaturas negativas na cidade, ela congela mesmo!

Vimos muitos cristais de gelo que a foto não mostra, mas foi bem legal. Já era 10h30, e imagino que quem fica disposto a acordar mais cedo consegue ver sua totalidade mais congelada ainda!

 

Vai ter frio na Viagem? Se vista de forma adequada em 3 camadas com os tecidos certos. Saiba como é e acesse minhas dicas de mala de inverno aqui.

 

Fizemos nossas fotos, e partimos então para o segundo ponto turístico, que é bem fácil de ir a partir das Cascata: o Morro das Antenas, ou Morro das Torres. Demoramos menos de 10 minutos entre um e outros porque o caminho é bem óbvio e você seguirá até o topo de carro, sem nenhuma trilha para ver o visual da região.

menino sorrindo com vista de montanhas ao fundo
O visual do alto do morro das antenas, e meu meninão mais velho lindo!

A visita ao morro das antenas tem um visual lindo, e abriga algumas antenas de transmissões para a região. Apesar disso, não possui quase nenhuma estrutura para os turistas, mesmo que seja uma parada rápida também.

Há somente um pequeno prédio que estava aberto como um ponto de apoio, com banheiros que provavelmente não são limpos com muita frequência (eu não fui kk) e a edificação em si é um pouco depreciada. Uma pena, porque daria um ótimo restaurante ou café que com certeza faria muito sucesso.

Mas se você levar uns comes e bebes, e uma toalha, acho que vale o piquenique também se o tempo colaborar e não estiver ventando muito.

O visual é bacana porque você consegue ter uma visão 360 desta região. É possível visualizar a pequena cidade abaixo, assim como as montanhas, e até o início dos cânions da região de Urubici, muito lindo!

Ali também tem um porta retrato gigante, que é a foto da capa do post (eu e meu caçula), com o nome da cidade. Ali não pode deixar de fazer seu registro!

Então descemos o Morro das Antenas para o centrinho, mas o caminho definitivamente é tão legal quanto os lugares, explico:

mulher em pé sorrindo ao lado de árvore com com cristais de gelo
O gelo no inverno está em toda a parte, e isso foi a diversão do roteiro!

Durante a subida/descida do morro, e até mesmo na chegada da praça da cidade, vimos muitas pedras, vãos, árvores e natureza com cristais de gelo, várias mesmo! Todo mundo acaba parando e fazendo fotos extras porque é muito bonito, e divertido!

Há encostas com fileiras de gelo, parecem mini cavernas, e não tem como não fotografar.

E para nossa surpresa, ao chegar na Praça Manoel Pinto de Arruda – que até usamos o Waze, mas o caminho foi bem fácil e simples, cidade super de interior com casinhas baixas e muito sossego – apesar de já ser 11h30 da manhã e com sol, havia muitos cristas de gelo nela. A árvore da foto acima estava assim, imagina mais cedo?

A praça tem várias vagas para estacionar, e me surpreendeu por ser tão bonitinha, pacata e preservada. Tem vários detalhes bacanas por lá.

letreiro escrito urupema
Foto com letreiro: Checked! Bem na praça!

Primeiro é que vai ser legal tirar fotos no inverno nestes locais congelados. Aproveite, abusa, pegue os cristais do chão que conseguir (antes de você sair congelado), se divirta! Aqui todo mundo aproveitou.

Depois, ao passear pela praça, você pode fazer mais alguns registros que todo turista gosta de fazer. Há o letreiro da cidade, sem esquecer do termômetro, pra você registrar a friaca que se meteu kkk.

A praça é bem gostosa e plana para a voltinha. Possui a pequena igreja Matriz Santa Ana ao fundo, um córrego artificial com pedras, e áreas bonitas de paisagismo.

E aqui sim tem bons banheiros! Públicos e adequados, limpinhos e bem cuidados, não deu pra reclamar!

E a praça foi a mais kids friendly de todas as que passamos na Serra Catarinenses. Tem um parquinho imenso, novinho e bem cuidado (fomos em julho de 2021) e nossos meninos foram brincar um montão lá!

parquinho infantil grande
Parquinho, ou parcão, de Urupema, ótimo!

O bacana é que o parquinho é todo cercado, e pude deixar as crianças livres para correr e brincar sem medo de ir para a rua. Tinham alguns banquinhos que ficamos por perto vendo, mas deu pra inclusive dar uma olhada ao redor, e como eu estava com minha mãe, nos revezamos para ver o que comer, já que era hora do almoço.

A cidade tem poucas opções de restaurantes, e já era hora do almoço. Pela fome das crianças, resolvemos não arriscar em paradas, e nem acabamos procurando outro lugar, visto que havia na praça uma lanchonete que estava aberta – era uma terça e deu boa!

A lanchonete tinha snacks, doces e sorvetes, mas também sanduíches simples e pastéis, e fomos no pastelzinho mesmo. Simples, mas gostoso, comemos na simpática pracinha com sossego, visto que as crianças aproveitaram bastante a diversão.

Porém, nada impede de dar uma olhadinhas nas opções de restaurante locais (só atenção quanto a horários, sabe que no interior se fechar você perde a hora mesmo) ou voltar para a estrada e dar uma olhada nas opções da parada.

E foi assim que finalizamos nosso roteiro! Ainda há mais o que fazer em Urupema se considerar pequenas propriedades rurais, mas estes definitivamente são os principais atrativos. Há também uma bonita Cachoeira do Rio Tigre, em Rio Rufino, no caminho da ida ou da volta, porém é uma trilha mais longa, e nem cogitamos ir, mas você pode pesquisar.

Partiu conhecer Urupema? Pega o casaco e descubra a cidade mais fria do Brasil!

Vai viajar? Acompanhe as dicas para famílias no Instagram @turismoemfamiliablog ou no pinterest.com/turismoemfamilia e use os nossos parceiros! Você me ajuda a continuar produzir conteúdos bacanas e não paga mais por isso. Aliás, até ganha descontos! Todas as vantagens estão  neste link Descontos e Benefícios

E se você trabalha com Turismo, também posso te ajudar Inovação, Marketing Digital e Base Técnica no segmento! Conheça minhas mentorias e capacitações, e todo meu portfólio no Menu Profissional.

Written by Flávia Sphair

Flávia Sphair, muito prazer! Sou Turismóloga, Viajante, Esposa, Mãe de 2 e a Blogueira por trás do Turismo em Família. Acredito que viagens e passeios proporcionam momentos e experiências únicas com que mais amamos, e minha missão aqui é ajudar famílias a viajarem mais e melhor, e também empresas do ramo a recebê-las da melhor forma possível, com consciência, respeito e empatia!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.