in , ,

Tibagi-PR: Um guia para curtir sua incrível natureza, inclusive em família!

mulher de costas com mochila nas costas olhando para um imenso cânion com pedras e vegetação verde

Tibagi é um destino perfeito para quem ama a natureza – com passeios entre incríveis formações rochosas, cachoeiras e um dos maiores cânions em extensão do mundo.

É um destino acessível em custo benefício, e apesar de suas principais atrações serem de aventura, como rafting e rapel, tem opções de passeios para toda a família sim, porque é possível aproveitar cada atrativo de muitas formas. É isso que vou mostrar agora mais para você!

Sobre o destino e locomoção

Tibagi está nos Campos Gerais do Paraná, e pessoalmente acho muito fácil ir a partir das principais cidades do estado. Está a cerca de 200km de Curitiba, 225km de Guarapuava, 230km de Londrina e apenas 95km de Ponta Grossa.

O ideal é ir ou alugar um carro. O acesso até a cidade é tranquilo e nós que saímos de Curitiba pegamos 3 pedágios até lá. Atenção para se você desejar fazer uma parada na estrada.

criança sorrindo em primeiro plano com guarda chuvas no fundo
André e os guarda chuvas com a cara do Instagram… mas são lindos!

É super possível tocar direto da capital, mas quem quiser fazer uma paradinha, a opção quase que única é a Parada do Pão de Queijo, que é bem estruturada, e aliás, bem instagrâmica, para quem gosta de fotos, de guarda chuvas e flores em todo lado.

E insisto em falar sobre estar de carro, por conta dos atrativos principais. Até existem sim alguns passeios que as operadoras locais fazem algum transporte, mas em geral você precisará ir por estradas de chão (nenhuma delas tão complicadas, só mais cuidado nos dias de chuva) e percorrer algumas distância para fazer a viagem render mesmo.

Onde ficar e comer

Eu tenho duas recomendações, já que já estivemos duas vezes na cidade. Para quem quiser uma localização central e preferir focar nos passeios e ter um lugar basicamente para descanso, recomendo o Hotel Itagy (meu review no link). Ele fica bem próximo ao centro histórico, tem inclusive quartos quádruplos, nos atendeu bem.

Antes de dar minha segunda recomendação de estadia em Tibagi, a gastronomia definitivamente não é forte da cidade, então não tenha grandes expectativas. São poucos restaurantes e lanchonetes no centro, eu nem tenho como falar de algum lugar que realmente gostamos, até porque foi um passagem pela primeira vez, e na segunda vez comemos em nosso hotel, que era pensão completa, que indico agora, o Itaytyba Ecoturismo.

pôr do sol entre vegetação dos campos gerais
Pôr do Sol no Itaytyba, lindo!

O Itaytyba é uma estadia estruturada que explora o ecoturismo. Possui chalés e apartamentos para famílias e várias opções de atividades, como piscina aquecida, trilhas, bocha, arco e flecha, parquinhos, mini golfe, sala de jogos e recreação em datas comemorativas.

Na verdade é um complexo dividido em duas partes, a estrutura que mencionei é a área chamada Aldeia dos Pioneiros, e ainda há uma segunda estrutura própria e enorme que é o Sítio do Vô Ivo.

É um atrativo exclusivo para hóspedes e super bacana, porque tem casas históricas, trilhas com várias formações rochosas, riachos e cachoeiras gostosas… uma super estrutura, incluindo um mirante próprio ao cânion do Guartelá, o principal atrativo de Tibagi.

mãe e 2 filhos com uma pedra esculpida e vista pra natureza
Em uma das trilhas e formações rochosas do Sítio do Vô Ivo, que faz parte do Itaytyba em Tibagi.

Esta visitação é exclusiva para hóspedes, e paga-se um valor a parte se sua reserva for realizada a partir do booking neste link.

O que fazer em Tibagi

O que mais interessa é justamente descobrir o que há de mais bacana na cidade né… e aqui vou falar mais sobre os locais e possibilidades incríveis que você pode conhecer.

Parque Estadual do Cânion do Guartelá: o atrativo mais icônico da cidade é o imenso cânion, e que vale ser visitado. A entrada é gratuita, mas prepare as pernas que tem um bom tanto de caminhada, em especial na volta, já que você faz uma grande descida até a vista do cânion, cachoeira e panelões, e tem que subir tudo denovo, e não é pouca coisa, já que são uns 2km para ir e outros 2km pra voltar.

Pelo menos para famílias com crianças e pessoas com dificuldade de locomoção é possível pegar uma carona na parte mais íngrime, os responsáveis do parque possuem um veículo para a parte mais crítica do caminho, e nós usamos a carona sim!

Se quiser ter uma visão do Cânion mais facilitada, o passeio no Sitio do Vô Ivô te dá essa possibilidade, que é a foto abaixo e também a da capa do post.

mulher caminhando com vista para o cânion
A visão do Cãnion é linda em todos os lados

Porém, o mirante do Parque Estadual te dá mais possibilidades, e é um passeio para o dia todo. Isso significa que você pode acessar a cachoeira com a ponte de pedra, os panelões, como se fosse buracos no rio que forma piscinas naturais, e o mirante principal (fechado em 2021, mas há uma área lateral que é possível ter uma boa visão também) com a vista do rio Iapó cortando o Cânion.

Estas são trilhas autoguiadas e tranquilas de ir por conta. Não esquece de levar o lanche ou almoço porque não há lanchonetes ou espaços de vendas no local.

É possível fazer mais uma trilha mais longa, em uma área de pinturas rupestres. Essa trilha é somente com guias autorizados e precisa ser reservada com antecedência. Cobra-se somente o serviço do guia.

Fenda do Nick: Este é meu lugar favorito de Tibagi, porque é uma formação única que a natureza criou em meio aos Campos Gerais.

pai, mãe e dois meninos entre uma fenda rochosa
Nossa família na Fenda do Nick: um lugar incrível de Tibagi

A fenda é uma formação rochosa que possui um caminho estreito entre grandes paredões rochosos. E isso por mais de 1km de extensão! Há algumas diferenças de caminho chamadas de lances (são 3) e o último é acessível somente via rapel, mas os dois primeiros é uma caminhada tranquila, só tem que tomar cuidado ao descer alguns degraus naturais de pedras, que são um pouco altos.

Fomos com nossos pequenos de 4 e 8 anos e foi tranquilo, ajudando eles a descer e subir destes obstáculos, mas apenas não recomendo o canguru ou o sling por conta deles. Não é impossível, mas acho difícil, e por ter um piso bem úmido, há risco de queda.

Aliás, o melhor calçado que você pode usar para a vista é galocha. É um lugar mais escuro com umidade, e por isso você vai conseguir aproveitar sem problemas. Leve também um casaco, pois a temperatura diminui lá dentro.

Dica final: o passeio só pode ser feito com guias, e nem tente chegar sozinho(a) porque você nem vai conseguir entrar, não tem sinalização e autorização para fazer por conta. Nós fizemos com a Guartelá Ecoturismo.

Geralmente saem dois horários, manhã e tarde (mas se você fizer uma reserva particular pode negociar) e recomendo o primeiro horário, pois você consegue pegar os raios de sol entrando na fenda perto do horário do almoço. É um lugar único, vale muito a pena!

 

Quer ver vídeos e mais fotos desta viagem? Acessa pelo Instagram do Turismo em Família, e veja todos os destaques e guias com mais de Tibagi!

 

Salto Santa Rosa: Na categoria cachoeiras, essa foi a minha favorita. O Salto possui uma estrutura de lazer com quiosques, lago e inclusive uma piscina com tobogã com aguá natural do rio.

mãe e filho de costas de braços abertos com vista para a cahoeira
Impossível não curtir toda a beleza do Salto Santa Rosa.

É claro que o principal é a linda cachoeira. Quando fomos a queda estava com um volume não muito alto de água, mas achei lindíssima, poética aliás… uma cachoeira gostosa de apreciar. A trilha do local onde você estaciona até sua base é fácil e demora menos de 10 minutos.

Com agência é possível fazer rapel nela, porém não é permitido banho, somente nas outras áreas de lazer.

Pagamos R$20,00 a entrada (abaixo de 12 anos não paga, setembro-21) e dá direito a toda estrutura. Não é permitido acampar e não há estadia no local.

Salto Puxa Nervos: Antes de falar dele, é importante dizer que o Puxa Nervos e o Santa Rosa estão um do lado do outro. Nós conhecemos os dois na mesma tarde, e super vale a pena fazer ambos em uma única pernada, já que estão há uns 15km do centro, porém a menos de 1km um do outro.

Também é possível realizar atividades de aventura no Puxa Nervos, o que inclui uma tirolesa na propriedade (não junto a cachoeira, valor de R$100,00), e paguei R$ 10,00 a entrada, e até 12 anos também não paga.

menino olhando para cima com cachoeira no fundo
Mateus curtindo o Salto Puxa Nervos

A trilha também não é complicada, e caminhamos cerca de 15 minutos até a queda d’água. Nesta propriedade existe uma pequena hospedagem rural, e havia até um parquinho, mas em condições não tão boas, estava bem velhinho.

Diferente do seu vizinho, o Salto Puxa Nervos é um pouco mais fechado, ao seu redor. E é possível ficar mais pertinho da queda, há mais pedras na parte de baixo, e uma coisa que fez a alegria dos meus meninos foram os trevos gigantes que vimos, foi sucesso.

Letreiro e Rio Tibagi: Na entrada de Tibagi, via Castro, há um letreiro que vale a foto, e fica bem na margem do principal rio da  cidade de mesmo nome. É neste rio que as atividades de rafting são realizadas.

criança com pés no rio sentada em uma pedra
André refrescando os pés, na água gelada!

Não é um rio para banho, a correnteza é perigosa, mas isso não impede de você curtir o visual, andar pelas pedras em sua proximidade, dependendo do nível de água que você vir, e garantir umas fotos. Você também tem o visual da ponte que cruza o rio, e há quiosquer pra relaxar. Um piquenique cai muito bem também!

Day use no Itaytyba – Sítio do Vô Ivo: Que vocês sabiam que o sítio era só pra hóspedes já é fato, mas felizmente é possível desfrutar de um day use na propriedade.

Vai ser um dia cheio, mas o comum que o pessoal faz no Itaytyba é realizar passeios que duram meio período até o Sítio. São muitos atrativos por lá e não tem como ver todos, e cada dia é um local diferente, mas ainda assim, vale a pena combinar o day use no dia para curtir um pouco do hotel e um pouco do sítio.

criança ne frente da mãe em um rio raso com cachoeira pequena ao fundo
Aquele banho de rio delicioso e gelado!

Vale ligar e combinar para saber qual é a programação, mas seja o que for feito, a propriedade é muito legal e com certeza de alguma forma você vai curtir.

O transporte é providenciado pelo próprio hotel para ir e vir do sítio. Demora um pouquinho porque são 21km de estrada de chão a partir do Itaytyba, ou seja, 1h pra ir e vir. Mas vale a pena!

Centro histórico: Tibagi possui muita história também, e no centro da cidade há algumas construções importantes, como a biblioteca e o Museu Edmundo Mercer.

Nós tivemos a oportunidade de conhecer por fora somente, acabamos não conhecendo os espaços internamente, que contam mais sobre o crescimento do município e seus ciclos econômicos, que houve inclusive garimpo de ouro e diamantes. São bem conservados.

Nossa viagem para Tibagi ficou mais na sua essência mesmo, que é o ecoturismo. Mais duas fotos da região do letreiro e do rio pra vocês verem.

mulher sentada em ponta de uma pedra e visão ampla do rio
Fiz minha foto na beira do rio Tibagi também!
Letreiro colorido escrito Tibagi
O letreiro que não podia faltar!

E agora, já se animou pra conhecer este lugar super bacana? A viagem foi uma delícia, vale muito conhecer!

Vai viajar? Acompanhe as dicas para famílias no Instagram @turismoemfamiliablog ou no pinterest.com/turismoemfamilia e use os nossos parceiros! Você me ajuda a continuar produzir conteúdos bacanas e não paga mais por isso. Aliás, até ganha descontos! Todas as vantagens estão  neste link Descontos e Benefícios

E se você trabalha com Turismo, também posso te ajudar Inovação, Marketing Digital e Base Técnica no segmento! Conheça minhas mentorias e capacitações, e todo meu portfólio no Menu Profissional.

Written by Flávia Sphair

Flávia Sphair, muito prazer! Sou Turismóloga, Viajante, Esposa, Mãe de 2 e a Blogueira por trás do Turismo em Família. Acredito que viagens e passeios proporcionam momentos e experiências únicas com que mais amamos, e minha missão aqui é ajudar famílias a viajarem mais e melhor, e também empresas do ramo a recebê-las da melhor forma possível, com consciência, respeito e empatia!

One Comment

Leave a Reply

One Ping

  1. Pingback:

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.