in ,

Nova Veneza SC em 1-2 dias: Um gostinho de Itália delicioso!

Nova Veneza foi uma surpresa muito especial para nossa família, e acho que você deveria aproveitar alguma oportunidade de conhecer este cantinho italiano de Santa Catarina.

A cidade fica no interior do estado, em uma região conhecida como Encantos do Sul. Está bem pertinho de Criciúma, cerca de 20km, que é a maior cidade próxima como referência.

E sim, ela não tem esse nome a toa. A cidade foi realmente fundada por imigrantes italianos que vieram ao Brasil, e neste caso, mantém viva a cultura de Veneza, o que inclui gastronomia e carnaval. Na entrada da cidade já dá pra perceber porquê!

Duas estátuas de bonecas de com fantasias de Veneza
Bonecos na chegada a Nova Veneza: Já á pra sentir o clima desde o Portal.

Porém, a cidade combina bastante ser visitada com outros destinos, como um bate e volta do litoral sul do estado (Laguna, Imbituba, Garopaba – pouco mais de 100km) – e principalmente com a Serra Catarinense, que foi nossa viagem.

Você pode descer a Serra do Corvo Branco e ir via Braço do Norte / Orleans e demais cidades; ou você pode descer a Serra do Rio do Rastro e depois de Lauro Muller ir até Nova Veneza que são menos de 50km. E claro, o inverso também é possível: você conhece a cidade e depois sobe uma das Serras.

Conhecer Nova Veneza junto com a Serra Catarinense foi uma decisão super acertada pelo principal motivo da cidade ser tão gostosa: pela gastronomia. É super possível sim conhecer o que é principal na cidade em 1 dia, mas não dá pra comer em tudo no mesmo tempo, e você VAI querer comer mais lá, porque é bom demais, e o preço é excelente também pelos pratos servidos.

prato com comida italiana: polenta, salada verde, maionese, macarrão e galeto
Prato médio de Galeto e acompanhamentos no Restaurante Casa do Chico, na praça central. Muito bom! Tem macarrão bem no fundo da foto também.

Nós saímos de manhã da Serra do Corvo Branco, e viajamos durante o dia. Fizemos ainda um pit stop no Museu ao Ar Livre de Orleans (muito simpático) e chegamos em um final de tarde. Pudemos jantar, passar todo o dia seguinte na cidade, e fomos embora no segundo dia. Quase almoçamos lá denovo kkk… mas como estávamos com as crianças (e quem foi com a gente foi minha mãe) preferi pegar a estrada com calma porque foi o dia da volta pra casa. Vontade não faltou.

É por isso que recomendo pelo menos 2 dias por lá, ao invés de apenas 1 dia, se puder claro. E nada impede de fazer de Nova Veneza base para conhecer outros lugares próximos, como Siderópolis, que tem vários atrativos de Ecoturismo, e a própria Orleans como fizemos.

Grande árvore no centro da cidade
No centro de Nova Veneza: a praça é super gostosa.

Ainda neste assunto, não deixe de, logo que chegar, pegar um mapinha turístico. Lá tem tanto os lugares para se visitar, e principalmente a rota gastronômica. Ficamos namorando os lugares que queríamos, e se for em finais de semana ou dias mais movimentados, como em feriados, é melhor fazer reserva!

Nós pegamos o nosso no Hotel Dolomitti, onde nos hospedamos, e eu adorei a estadia. Ficamos em um quarto quádruplo com banheira e dois ambientes – um com cama de casal e outro com duas camas de solteiro (muito boas), ambos com tv a cabo. Muito confortável, também com um bom café da manhã. Só não é um hotel com outras áreas de lazer, que não fez falta, já que passeamos o tempo todo pela cidade. Fica uns 4km do centro, bem em frente ao Santuário Nossa Senhora do Caravaggio (que vale a visita também).

Outra opção bem recomendada e com mais áreas de lazer é o Hotel Bormon. Este fica um pouquinho mais perto do centro, tem piscina, porém não tinha opção de quarto quádruplo quando fomos. Ainda assim, vale dar uma olhadinha pra decidir onde ficar.

 

Reserve sua hospedagem no Hotel Dolomitti aqui ou então a estadia no Hotel Bormon aqui

 

Ah, nesta altura você já deve ter percebido que é uma viagem pra se fazer de carro. Não tem melhor jeito!

O que fazer em Nova Veneza?

Sem mais enrolar, vou dar as sugestões e dicas sobre o que visitar na cidade. Eu não fiz um roteiro com muita ordem, como acabo fazendo na maioria das vezes, porque sabia que seria um dia tranquilo e que tudo era muito perto. Só fique atento quanto aos horários de funcionamento dos atrativos, já que cidade pequena o pessoal fecha pra almoço, e tem lugar que só abre em dias e horários específicos.

A ordem que eu mencionar aqui foi exatamente a que fizemos. Vamos lá:

Check-in e Restaurante Casa do Chico: Chegamos no final da tarde e demos uma descansada. Depois de arrumar a turma toda, saímos jantar no delicioso Casa do Chico. Que fica bem no centro – e já demos uma espiada na pracinha.

É um restaurante que serve massas, pizzas artesanais e gastronomia típica. Provamos um belo prato de Galetto, que já mostrei na foto acima e estava MUITO bom mesmo, acompanhado de salada verde, polenta, almôndegas, espaguete e maionese. Recomendo! Aí retornamos para se preparar para o dia seguinte.

Dentro do Santuário com bancos e cúpula no teto
O grande Santuário de Nossa Senhora de Caravaggio

Santuário Nossa Senhora de Caravaggio: Começamos ao atravessarmos a rua em frente ao Hotel Dolomitti para conhecer este bonito Santuário, que possui uma praça e loja de artigos religiosos. O Santuário é bem grande e possui muitas pinturas na parte mais baixa do teto, assim como uma grande cúpula com luz natural.

Admiramos bastante a beleza dos detalhes. Nossas crianças também apreciaram, mas claro, no seu tempo. Por isso eles foram correr um pouquinho mais na pracinha em frente antes de pegarmos o carro para ir até o centro.

Gôndola e Centro de Nova Veneza: Estacionamos na área central – e a coisa boa é que mesmo no coração de Nova Veneza não tem nenhum tipo de cobrança pública – para caminhar algumas quadras e conhecer a cidade.

menino de costas olhando gôngola ao fundo
Nosso gurizinho gostou da água e ficou de olho em tudo!

Estacionamos bem ao lado da Ponte dos Namorados. É uma ponte com uma estrutura metálica verde que cruza o rio que corta a cidade. Tem até um banquinho e algumas floreiras, bem simpáticas.

Dali é só atravessar a rua para chegar na praça e ver a Gôndola Veneziana. Chama a atenção porque foi um presente à cidade que cresceu justamente por conta dos imigrantes italianos da região. Esta é uma das únicas 3 gôndolas originais de Veneza que estão fora da Itália. Ao redor dela estão fontes e uma roda d’água bem charmosas.

Você pode sim sentar e fazer foto nela, sem nenhum custo. Porém há um “gondoleiro” cuidando do espaço, e ele fecha o acesso no horário do almoço. Nós fomos antes e foi tranquilo.

Ao lado da gôndola também está um dos mais tradicionais restaurantes da cidade: o Venezia. É o mais antigo e só não fomos nele porque estava com sistema de rodízio, e queríamos a La Carte, mas está dentro da rota gastronômica de Nova Veneza, e as recomendações são boas. Chegue cedo!

Parquinho infantil
Santa Catarina e seus parquinhos infantis bacanas

Andamos mais um pouquinho quadra acima para ver a Igreja Matriz e adivinha: achamos um parquinho. A gente sempre acha uma dose de diversão para as crianças né… e deixamos eles brincarem. Conseguimos ver a Igreja por dentro, e bem ao lado dela está o Museu do Imigrante. Porém, já tinha acabado de chegar a hora do almoço, e não visitamos ele naquela hora, mas voltaríamos depois.

Vinícola Bormon: Pegamos o carro e seguimos então para o atrativo mais distante: a Vinícola Bormon. Na verdade também tem, no caminho similar, a Barragem do Rio São Bento, que já divisa com Siderópolis e onde ficou a torre da igrejinha que foi inundada após sua realização, e também um complexo de lazer interessante para famílias chamado Aguaí, mas decidimos não visitá-los e conhecer somente a Vinícola, porém, não deixa de ser mais uma opção de passar 2 dias cheios na própria cidade.

Garrafas de suco de uva
Vinhos e sucos da Vinícola Bormon

A vinícola é um castelinho e fica 6km distante do centro. O caminho é bonito e pega um pouquinho de estrada de chão, mas nada complicado pra qualquer veículo. Tinha um mini parquinho, mas não estava muito bom pra usar.

A produção é própria e você pode degustar os produtos. Nós não bebemos álcool, mas fomos de suco de uva e é muito gostoso. Compramos algumas garrafas pra trazer pra casa.

Na vinícola ainda é possível comer uma tábua de frios ou provar um nhoque de batata salsa (mandioquinha) em um espaço de restaurante, mas não comemos lá. No segundo andar do castelinho tem um terraço e uma bonita vista que valeu apreciar.

Parque infantil em madeira
Parque infantil no Quiosque da Célia: almoço sossegado!

Decidimos almoçar no caminho da volta, no Quiosque da Célia. Como sabíamos que iríamos comer novamente comida italiana a noite, preferimos variar no almoço e provar uma de suas porções, sendo peixe a especialidade, principalmente tilápia. É um ambiente grande, bonito e estava muito sossegado quando fomos, e demos de cara com mais um parquinho bacana para nossos guris esperarem o almoço.

E aliás, demos risada. O preço era MUITO bom. Decidimos pedir uma porção grande, que custava R$ 65,00 (tinha pequena e média também) que tinha vários petiscos, como isca de peixe, polenta, batata, picles, ovo de codorna. etc. A Célia perguntou se não queríamos a média, de R$ 45,00 e dissemos que não porque pelo preço, achei que não seria tão grande. Mas foi, é super bem servida e acho que comeriam 4 adultos com folga! Ótimo  preço, e sigam a recomendação da dona!

Passaríamos novamente ao centro para continuar o passeio, mas antes paramos na Mio Cacau, uma pequena fábrica de chocolate artesanal. O proprietário é muito simpático e mostra o processo produtivo, assim como oferece degustação por intensidade. Senti aquele cacau orgânico mesmo, produto de qualidade, e não resistimos em não levar algumas barrinhas.

Duas casas de pedra em gramado
Casas de Pedra: A história de Nova Veneza.

Casas de Pedra: A tarde, passamos pelo centro (na verdade meio que todos os caminhos passam ao lado da praça mesmo) e seguimos 2km dali para conhecer as Casas de Pedra. Este é um espaço tombado pelo patrimônio histórico que conta a história da família pioneira de Nova Veneza, inclusive a 3a geração deles foi quem começou o restaurante Venezia, e quem cuida agora é a família da 5a geração.

São espaços internos simples com alguns objetos de época e detalhes interessantes. Eu gostei do interno, mas confesso que o lado externo com o jardim foi o que mais gostei.

Importante: as Casas de Pedra só funciona, no período da tarde! De quarta a domingo, das 13h00 às 17h00, e foi a única atração na cidade que cobrou entrada de R$ 5,00 a partir de 5 anos de idade. Todas as demais são gratuitas.

Poço real para água
E tem um poço de verdade no museu!

Voltamos para, adivinha? O centro! Mas agora foi hora de vermos o Museu do imigrante, que ficou faltando.  Ali É mais um pequeno espaço com dois ambientes que possuem objetos históricos e muito simpático, está bem conservado.

A surpresa foi que a edificação tem um poço de verdade dentro dela. Tomei um susto quando olhei para dentro porque achei que seria algo rasinho, e ele tá lá, real. Então, cuidado com as crianças!

Seguimos novamente para a região da praça para visitar o último espaço que na verdade foi falha mkinha não ter visto antes, mas é super legal de ver. É só continuar caminhando após o restaurante Casa do Chico para conhecer o ateliê Carnevale di Venezia.

Manequim com fantasia veneziana
Tem fantasias e Carnaval de verdade na cidade também!

O ateliê é pequeno , mas muito simpático, e tem duas pequenas salas que exibem manequins com bonitos trajes de carnaval veneziano. Infelizmente quando estivemos lá não pudemos nem ter a chance de pensar em ver um evento de Carnaval, por conta da pandemia da covid19, mas há de ter a festa no futuro e com certeza é legal de se programar.

Pra fechar a parte diurna do dia, e com o calor que estava ficou ainda melhor, fomos de sorvetinho, já que tem um café com gelateria bem na esquina da praça. Vou ser sincera que o gelato estava gostoso, mas realmente idêntico ao italiano de Veneza não é. Ainda assim, valeu experimentar.

Nós terminamos o dia deixamos de passar por um último atrativo, a Via Crucis. É um trajeto com 7 pequenos monumentos relacionados a os eventos da Paixão de Cristo, e na época da Páscoa é realizada uma caminhada – é uma subidinha e tem uns 3 km – passando por cada um deles.

É possível claro fazer de carro, mas deixamos pra uma próxima, já que tinham dois guris ansiosos para o banho na banheira do hotel. Mesmo com o vai e vem de cada lugar, terminamos tudo por volta de 16h30, já que é tudo tão pertinho.

prato de vitela com polenta cremosa e brócolis
Prato de vitela com polenta cremosa e brócolis da Bodega do Zeca: explodiu o sabor!

Pra fechar – O último jantar: Depois de todo mundo ficar pronto, foi hora de sair jantar, e escolhemos – bem – mais um restaurante da rota gastronômica, o restaurante Bodega do Zeca.

De ambiente colorido e que relembra os casarões antigos italianos e suas decorações rústicas, mas ao mesmo tempo moderno com cardápio e pedidos nos tablets e com vários diferenciais, como um bom cardápio kids com masssas e o questionamento de restrições alimentares junto ao pedido.

A melhor parte: o preço é excelente! Super bem servidos, pedimos uma deliciosa polenta frita com uma porção bem servida de R$ 13,00. Tinham várias boas opções e minha mãe provou um mignon a mostarda muito saboroso, e e eu comi a vitela com polenta brustolada com brócolis que estava DIVINA.

O brócolis estava perfeito só pra começar, e a vitela desmanchava, além do tempero ser delicioso ao paladar. Meu prato era 42,00 e um dos mais caros do cardápio. Valeu demais e fechamos Nova Veneza com chave de ouro, já que voltamos pra dormir e no dia seguinte foi só tomar café da manhã e ir embora.

dois meinos sentados em banco de ponte com rio a fundo
Nossos dois turistinhas na ponte dos namorados.

Última dica: mencionei aqui opções a la carte dos restaurantes que fomos, porém, outros dias podem ser rodízio, como em finais de semana. Vale se informar no dia que vocês forem. Nós visitamos a cidade em uma sexta-feira.

Visitar Nova Veneza foi muito legal mesmo! A cidade é bem charmosa e acho que vale curtir o máximo que puder para passear, e principalmente comer, com bastante calma. Valeu muito conhecer. Agora me diz nos comentários: quando você vai?

Vai viajar? Acompanhe as dicas para famílias no Instagram @turismoemfamiliablog ou no pinterest.com/turismoemfamilia e use os nossos parceiros! Você me ajuda a continuar produzir conteúdos bacanas e não paga mais por isso. Aliás, até ganha descontos! Todas as vantagens estão  neste link Descontos e Benefícios

E se você trabalha com Turismo, também posso te ajudar Inovação, Marketing Digital e Base Técnica no segmento! Conheça minhas mentorias e capacitações, e todo meu portfólio no Menu Profissional.

 

 

Written by Flávia Sphair

Flávia Sphair, muito prazer! Sou Turismóloga, Viajante, Esposa, Mãe de 2 e a Blogueira por trás do Turismo em Família. Acredito que viagens e passeios proporcionam momentos e experiências únicas com que mais amamos, e minha missão aqui é ajudar famílias a viajarem mais e melhor, e também empresas do ramo a recebê-las da melhor forma possível, com consciência, respeito e empatia!

One Comment

Leave a Reply

One Ping

  1. Pingback:

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.