in , ,

O que fazer em Manaus em família: Opções para todos!

Mulher sorrindo em mirante com floresta amazônica ao fundo

Há muito o que fazer em Manaus em família. É um destino especial de contato com a natureza, muito aprendizado, e dá sim pra fazer muita coisa legal com segurança, conforto e praticidade, inclusive com crianças!

A capital do Amazonas é única, já que tem uma baita margem do Rio Negro, e do Encontro das Águas, e tem muita história, até porque teve seus dias de ouro no Ciclo da Borracha e um imenso progresso na época. E ainda está literalmente do lado da Floresta, com muitas opções próximas na natureza, seja para ver animais em seu habitat, árvores gigantes, e mais!

Onde ficar

Antes de saber o que fazer em Manaus, é bom saber onde ficar. É comum os turistas usarem a capital apenas como apoio para conhecer um Hotel de Selva, mas mesmo assim, você geralmente fica uma noite na chegada e outra na partida da Selva, visto que o tempo de deslocamento em geral para eles é de meio dia.

E veja que isso não é um problema, já que você tem oportunidade de conhecer a cidade, que vale sim o passeio, e recomendo estender uns dias extras para conseguir fazer mais passeios (afinal, se você não mora na região, não é sempre que dá pra ir à maior florestal tropical do mundo).

Algumas opções de estadia são:

Novotel Manaus: quando fomos, não vimos muitas opções disponíveis com quartos quádruplos (maioria duplos ou triplos), mas tinha essa opção no Novotel, que inclui café da manhã e tem piscina e academia, e tem uma hospedagem padrão de rede.

piscina retangular com palmeiras e prédio de hotel ao fundo
Área de piscina do Novotel Manaus

A desvantagem é estar longe do centro, no distrito industrial, mas está no caminho para o MUSA e muito próximo do porto de acesso para o Hotel de Selva (depende de qual hotel, mas em nosso caso que foi o Juma Amazon Lodge, foi excelente).

Juma Ópera: para quem quer um local sofisticado e de excelente localização (no centro, bem em frente ao Teatro Amazonas), é ótima pedida. O ambiente é lindo e o serviço diferenciado. Não nos hospedamos, mas almoçamos nele, e foi excelente.

Há outras opções de rede próximas ao centro e aos principais shoppings de Manaus (que ficam também próximos um dos outros) e que não nos hospedamos, mas são redes bem consolidadas no mercado. Algumas são: Mercure Manaus, o Quality Manaus, e o hotel de padrão luxo Villa Amazônia.

O que fazer em Manaus em família

Há ótimos passeios para fazer na cidade, ou a partir dela, e você pode fazer com carro próprio ou alugado, de Uber ou Táxi (e atenção para comprar ingressos e conferir horários), ou com agência de receptivo local.

Nós dividimos entre Uber e agência, que no caso foi a Iguana Tour (Amazon Tours), e recomendo demais. Tanto que são meus parceiros – só mandar mensagem no whats 92-993513630 deles e mencionar TURISMOEMFAMILIA para garantir 5% de desconto! Nesse caso, muitos passeios já incluem os ingressos e almoço no pacote proposto da agência.

Sem mais demora, vamos as minhas indicações de o que fazer em Manaus com a turma toda:

encontro das águas dos rios negro e solimões
O famoso Encontro das Águas dos Rios Negro e Solimões.

City tour com Encontro das Águas – Este é um passeio bem clássico e dura em torno de 6 horas, que fizemos com a agência. Eles nos buscaram no Hotel e saímos do porto em frente ao mercado municipal.

O passeio é basicamente feito pelo rio, em lancha (melhor sentar mais na frente possível, é mais confortável e atrás pode espirrar mais água), com algumas paradas no caminho, junto de um guia de turismo credenciado.

A nossa primeira parada foi em um flutuante para a interação com os botos cor de rosa. Este lugar é uma atividade legalizada e fiscalizada pelo ICMBio, com horários e regras.

pessoas nadando em volta de boto cor de rosa no frio
A interação com o boto rosa no Rio Negro

Os botos ficam livres, mas são dóceis e atraídos por peixes da equipe do flutuante, e assim, por poucos minutos, os turistas podem ficar pertinho deles, com boias parecidas com coletes salva vidas no rio.

Eu pessoalmente não entrei na água, nem as crianças, mas observamos os animais (que aliás, são lindos).

Seguimos então para o Encontro das águas, que é único e realmente diferente. Paramos por alguns minutos para fotos e explicações, e lancha faz uma volta em 360 graus nesta área, para vermos o encontro de vários ângulos.

Dali vamos para um outro flutuante, onde é feita a simulação de pesca do pirarucu, o maior peixe de água doce do mundo, e que não pode ser pescado na natureza, e somente criado para consumo em cativeiro. Eles oferecem uma 3 iscas (10,00 cada em jan/22) para usar em um tanque, e você sente a força do bicho, é bem interessante.

Logo ao lado já está um restaurante beira rio com buffet, que inclui saladas, guarnições e comidas regionais, como os peixes tambaqui e pirarucu.

Tanto ali como nas duas últimas paradas há artesanatos para compras (mas os melhores preços estão no mercado, que falarei na continuação do post). E já o ponto de partida para conhecer o Lago das vitórias régias.

mulher olhando para o lado com vitórias régias no lago ao fundo
As lindas vitórias régias

As vitórias régias são de época e nós demos sorte por estarmos lá quando já estavam crescendo, em geral no início da cheia dos rios. Por isso, não dá pra se frustrar caso não estejam lá, mas de fato são lindas, e aprendemos muito sobre suas características.

 

Leia também: Trilhas e Natureza com Crianças – o que usar e levar na mala (ou mochila)

 

Na passarela ao lago, há muitos macaquinhos, e precisa ficar de olho, porque eles querem comida. Não pode alimentá-los, porém, qualquer movimento de abertura de bolsa ou mochila eles vêm pra cima, mas não tem problema algum se apenas passar sem mexer em nada. Foi bem tranquilo. Eles não são perigosos.

grupo de indigenas com casal de turistas
Foto com o grupo da apresentação indígena

A última parada então foi em uma tribo indígena, para uma rápida apresentação cultural, com dança e música. Tanto eu como meu maridão fomos chamados para participar no final, e os meninos registraram o momento. Achei muito bonito.

Retornamos na lancha no meio da tarde e ainda deu tempo de dar mais uma voltinha!

Mercado Municipal – O mercado é basicamente de artesanato e restaurantes típicos. Não é tão grande, conhecemos ele em menos de 1h, e tem muito artesanato legal em madeira, com temática indígena, sabonetes com muitos cheiros deliciosos, e várias lembrancinhas com os melhores preços da região: vale a pena e garanti meu imã – eu nunca fico sem em minhas viagens.

Não almoçamos por lá, mas tem opções de pratos regionais – especialmente a base de peixe – e alguns lanches (pasteis, sanduiches, etc).

mulher sorrinho em escada na frente da fachada do teatro histórico
O lindíssimo teatro Amazonas

Teatro Amazonas e Centro Histórico – Considero parada obrigatória a visita ao teatro pelo imenso valor histórico e cultural deste espaço, que é muito lindo mesmo!

Ele não perde em nada para os teatros europeus, e tem esse estilo, porém, com toda personalidade brasileira.

A visita guiada ao teatro dura cerca de 40 minutos, e precisa ser obrigatoriamente agendada neste site. Fomos em tempos de covid, e é também necessário medir temperatura e apresentar esquema vacinal completo (exceção menores de 12 anos). O valor da entrada é de R$20,00 e crianças não pagam, também tem meia entrada para os grupos previstos por lei.

O teatro é repleto de pinturas, detalhes e curiosidades. O Salão Nobre é belíssimo, assim como o auditório. E as crianças amaram uma maquete de Lego que tem na exposição do teatro, sucesso!

Nós tivemos pouco tempo na região e não deu pra explorar o lado histórico como gostaria, mas tem ainda muitos edifícios bacanas, como a Casa do Governador Eduardo Ribeiro, Palácio da Justiça, etc. No blog Expedições em Família, o post de lá sobre Manaus tem mais detalhes destes espaços e vale a leitura também.

esqueleto de dinossauro
Esqueletos de dinos na Amazônia: sim temos!

MUSA: Museu da Amazônia – Para mim, mais uma parada obrigatória de o que fazer em Manaus. Na verdade, ele não é um museu tradicional, justamente porque é mais ao ar livre do que em um espaço interno, com entrada de R$30,00 (crianças não pagam e tem valores diferenciados para quem desejar tours guiados).

E isso significa que é obrigatório ir de sapato fechado – bota ou tênis, não aceitam nada diferente disso – para conhecê-lo. É possível inclusive alugar galocha por 5,00 e comprar meia por 5,00 – novamente valores de jan22 – por segurança, mas é super tranquilo (até achei frescura porque é muito de boa). Mas atenção a crianças e bebês pequenos, vi calçados disponíveis para a partir de 4-5 anos de idade somente.

O museu tem um trilha principal que inclui árvores gigantes, como o Angelim, e vários espaços para visitas, como serpentário, aquário, orquidário, lago das vitórias régias, e outros – até esqueletos de dinossauros e grandes répteis. A equipe é muito solícita e as crianças aprenderam – e correram – bastante.

O espaço principal é a torre, uma escadaria de metal que pode ser difícil de subir, mas tem a vista para um mar de floresta, e é muito lindo, tanto que é a capa deste post!

O MUSA também conta com lanchonete e recomendo levar garrafinha de água, tem um filtro que pode encher o quanto quiser por lá! Mais informações – veja o site do MUSA!

menino em frente a areia e praia no rio com pôr do sol no fundo
Quer um pôr do sol memorável e emocionante: tem que ir para Ponta Negra!

Praia de Ponta Negra – Na região nobre da capital está a Praia de Ponta Negra. Esta é uma das poucas praias permanentes da região, já que as praias de rio somem e retornam de acordo com a cheia ou seca, mas uma obra realizada pela prefeitura permitiu que Ponta Negra sempre esteja lá!

A água do Rio Negro é limpa e a praia muito gostosa. Na verdade a Orla é gostosa de passear, mas o final de tarde é especial, já que o pôr do sol é belíssimo com a vista do rio, seja na areia, ou em algum ponto da orla, com a imensidão do rio. E praia é praia né, as crianças sempre curtem brincar na areia.

Por ali há algumas lanchonetes e barracas de lanches, com sorvetes, açaí, kreps, cachorro quente e outras comidinhas.

CIGS: Zoo de Manaus – Abriga somente animais da região da Amazônia, e mantém cuidados com cada um deles, além de realizar um trabalho de educação ambiental. São mais de 50 espécies.

É um passeio tradicional, e em geral os pequenos gostam! No site do CIGS há mais informações!

Bônus: Presidente Figueiredo – Não está exatamente na categoria de o que fazer em Manaus, mas sim perto dela. É uma cidade incrível com muito ecoturismo, cheia de cachoeiras, lagos cristalinos, grutas e muito mais! Fizemos passeio com a agência Iguana Tour também para lá. Veja mais detalhes no post específico sobre esse destino!

Bora ir em família para Manaus? A experiência é incrível, garanto porque foi assim para nós!

Vai viajar? Acompanhe as dicas para famílias no Instagram @turismoemfamiliablog ou no pinterest.com/turismoemfamilia e use os nossos parceiros! Você me ajuda a continuar produzir conteúdos bacanas e não paga mais por isso. Aliás, até ganha descontos! Todas as vantagens estão  neste link Descontos e Benefícios

E se você trabalha com Turismo, também posso te ajudar Inovação, Marketing Digital e Base Técnica no segmento! Conheça minhas mentorias e capacitações, e todo meu portfólio no Menu Profissional.

Written by Flávia Sphair

Flávia Sphair, muito prazer! Sou Turismóloga, Viajante, Esposa, Mãe de 2 e a Blogueira por trás do Turismo em Família. Acredito que viagens e passeios proporcionam momentos e experiências únicas com que mais amamos, e minha missão aqui é ajudar famílias a viajarem mais e melhor, e também empresas do ramo a recebê-las da melhor forma possível, com consciência, respeito e empatia!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.